Entrevista uma nova visão na hotelaria

A gestão hoteleira e condominial para condo-hotéis, flats hoteleiros e, mais recentemente, multipropriedades, possui várias complexidades que faz com que as empresas gestoras tenham sempre que inovar na metodologia e modelo de gestão. O empreendimento precisa ter departamento comercial e marketing agressivo para trazer clientes para se hospedaram e cada vez mais aumentar a ocupação, deve oferecer excepcionais serviços hoteleiros, experiências e diversão para fidelizar esses hóspedes. Mas também deve administrar o pool de locação e entregar resultados satisfatórios para os proprietários investidores. Além também de ter que gerir a parte condominial, com custos e despesas, novos investimentos, convenção de condomínio e relacionamento com os proprietários.

Fundada há dois anos em Caldas Novas/GO, a Másquio Hotéis e Resorts atingiu resultados supreendentes neste pouco tempo alinhando experiência, inovação e controle de custos com a missão de agregar valores aos investidores. Com um case de sucesso, junto ao Ecologic Ville Resort, em Caldas Novas, a Másquio administra condomínios hoteleiros baseados em cinco pilares: comercial, hospitalidade, parques, alimentos e bebidas e administração de condomínio.

A fundadora da Másquio Hotéis, Eioly Masquio, conversou com a Turismo Compartilhado sobre os desafios da gestão hoteleira e condominial e o case de sucesso Ecologic Ville Resort.

Como surgiu a Másquio Hotéis e Resorts?

Eioly Masquio – A Másquio Hotéis e Resorts surgiu da necessidade de um empreendimento específico em Caldas Novas, que precisava de uma administradora séria, comprometida e disposta a reestruturar uma operação já considerada falida e com grande passivo jurídico.

Qual era o cenário do Ecologic quando a Másquio assumiu a gestão do empreendimento? O que foi atingido desde então?

Eioly Masquio – Quando a Másquio Hotéis e Resorts assumiu o Ecologic Ville Resort o empreendimento estava com prejuízo de mais de R$ 2 milhões/ano, com grande passivo cívil, trabalhista e dívida com a união. Os investidores, que já não mais acreditavam no empreendimento, haviam suspendido, inclusive, a taxa condominial e esperavam pelo iminente fechamento do resort.

Em 2 anos, a Másquio Hotéis através do gerenciamento e reengenharia de custos, recuperação da imagem e credibilidade no mercado, fechou o ano de 2019 com lucro nunca antes registrado no empreendimento, lembrando que tudo através da operação, sem taxa de condomínio ou qualquer tipo de aporte ou injeção de capital por parte dos investidores e proprietários. Além do lucro efetivado, a administradora conseguiu nesse período diminuir o passivo do condomínio em quase R$ 2 milhões e afastar qualquer risco iminente de fechamento.

É verdade que o empreendimento ainda encontra-se em fase muito delicada e que se faz necessária a continuidade de uma gestão forte e atenta aos custos e ao mercado.

A certeza de que a Másquio encontrou a receita de sucesso é que, além do resultado financeiro, conseguimos alcançar altos índices de satisfação dos clientes do Ecologic Ville Resort, através de pesquisas de satisfação interna e externa e que podem ser acessadas de forma transparente através das redes sociais e canais de vendas.

Como dever ser a gestão em empreendimento hoteleiro no modelo de condo-hotel, equilibrando os interesses dos proprietários-investidores e do pool de locação?

Eioly Masquio – A administradora de um empreendimento hoteleiro, que também tem como formação um condomínio, precisa entender que aquele negócio não é dela. Ela está gerindo o patrimônio de pessoas que possuem diferentes expectativas em cima do investimento realizado. E para tanto, ela precisa atender aos anseios de todos os proprietários, desde aqueles que têm por interesse a utilização do imóvel para uso próprio e muitas das vezes seu lazer e de seus familiares, quanto daqueles que possuem a expectativa da rentabilidade financeira.

Equilibrar esses anseios e entregar aos investidores rentabilidade, segurança e liquidez de seu ativo é a receita para o sucesso da parceria entre administradores e os empreendimentos.

A Másquio também se especializou em planejamento de recuperação de empreendimentos hoteleiros. Como funciona esse planejamento de recuperação?

Eioly Masquio – Com uma equipe de gestores de grande peso no mercado de hotelaria e grande experiência em gestão de resorts, hotéis e parques, a Másquio Hotéis e Resorts oferece a solução para negócios hoteleiros e empreendimentos com cinco pilares: comercial, hospitalidade, parques, alimentos e bebidas e administração de condomínio, com expertise para entrar em um projeto em qualquer fase de operação, da abertura e implantação e recuperação e comercialização, com metodologias gerenciais modernas e de grande transparência.

A engenharia de custos desenvolvida pela Másquio garante a otimização dos recursos e maior rentabilidade aos investidores, através da experiência do cliente.

Os destinos hoje estão cheios de ofertas de hotéis e resorts com características físicas semelhantes, o diferencial na administração da Másquio é navegar pelo mercado pouco explorado de experiência do cliente. Ela descola o empreendimento de vender quarto e piscina, passando a oferecer experiências e momentos inesquecíveis a seus clientes, criando dessa forma um ciclo saudável de consumo e sustentabilidade do negócio.

Existem diferenças na gestão para um empreendimento que acabou de abrir e outro que já estão em operação há algum tempo?

Eioly Masquio – Sim, um empreendimento em operação já sofreu desgaste do patrimônio e muitas das vezes ficou sucateado por falta de investimento em manutenção preventiva e corretiva. Na hora de escolher uma administradora é importante que os proprietários investiguem as condições que a mesma deixou os empreendimentos já administrados anteriormente. Não é novidade que muitas administradoras acabam por não alocar recursos para essa área ao fazer uma gestão unilateral.

A Másquio sempre acreditou na parceria ganha-ganha e traz um novo conceito de administradora hoteleira, que tem a missão não só de trazer rendimento mas também liquidez ao investidor. Ela acredita na parceria de longo prazo e em deixar um legado de satisfação por parte de investidores, colaboradores e clientes.

Ecologic Ville Resort, em Caldas Novas/GO


Qual a importância da Convenção de Condomínio para a gestão do empreendimento?

Eioly Masquio – Esse é um outro aspecto muito relevante ao sucesso de um empreendimento de condomínio. A Convenção do Condomínio precisa dar respaldo a operação hoteleira, deixá-la livre para atuar forte no mercado com a agilidade que essa demanda exige. Para tanto, o pool de locação deve ser livre para decidir um contrato, independente do condomínio, que seja, bom para o empreendimento e sempre garantindo um bom relacionamento entre as partes.

Este modelo de gestão para flats hoteleiros também pode ser replicado para um empreendimento de multipropriedade? Quais seriam as principais adaptações no modelo?

Eioly Masquio – Muitos empreendimentos de multipropriedade não têm entendimento que precisam de um modelo de hotelaria para garantir uma operação coesa, enxuta com otimização de recursos. A má gestão da operação inviabiliza o empreendimento resultando em altas taxas de condomínios, pool paralelo que inviabiliza o pool oficial, insatisfação quanto a qualidade de serviços utilizados pelos adquirentes e insatisfação de retorno para aqueles que decidirem pela locação no pool oficial.

Para um empreendimento de multipropriedade as adaptações gerenciais seriam muito mais na forma de captação e gerenciamento das semanas do pool, para tanto a Másquio já conta com um sistema que facilita essa gestão, que de forma simples e rápida o adquirente libera automaticamente sua unidade para a gestão hoteleira.

As incorporadoras tendem a tomar para si a administração dos empreendimentos como forma a garantir seu investimento e isso é naturalmente saudável, principalmente quando alinhado a parceria de uma administradora com know how para garantir a perpetuidade, solidez e sustentabilidade do empreendimento. A ideia é que as incorporadoras de empreendimentos de multipropriedade explorem seu potencial de construir e vender e quando chegar o momento da entrega do empreendimento ter como parceira uma administradora hoteleira que completará o ciclo de experiência do adquirente.

Além disso, operacionalmente a administradora precisa preservar o patrimônio dos adquirentes, visto que a locação de unidades através de empresas alheias ao empreendimento traz grandes riscos quanto a segurança dos clientes, dos adquirentes e incorporadora.

Menu